Sinodalidade: participação e comunhão em vista da missão

“Sínodo” quer dizer “caminhar juntos”. A sinodalidade expressa a participação e comunhão em vista da missão. Este será um dos eixos temáticos do 4º Congresso Missionário Nacional (4º CMN) a ser realizado, nos dias 7 a 10 de setembro, em Recife (PE), com o tema “A alegria do Evangelho para uma Igreja em saída”. O cardeal Sergio da Rocha, arcebispo de Brasília e presidente da CNBB, será um dos conferencistas. Publicamos, a seguir, uma de suas reflexões sobre o tema.

DSCN4606A sinodalidade da Igreja é tema de profunda atualidade, adquirindo especial importância desde o Vaticano II, principalmente no pontificado do papa Francisco. Ele nos ofereceu uma reflexão teológica profunda e desafiadora sobre a sinodalidade da Igreja, na comemoração dos 50 anos da instituição do Sínodo dos Bispos, aos 17 de outubro de 2015, afirmando que “o caminho da sinodalidade é precisamente o caminho que Deus espera da Igreja do terceiro milênio”.

Para compreender bem a sinodalidade, é preciso considerar também outro termo de grande sentido eclesiológico e igualmente importante, a colegialidade. A colegialidade é exercida pelos bispos unidos ao papa. Portanto, é episcopal. A sinodalidade vai além da colegialidade e não se reduz ao Sínodo dos Bispos. Há diversos níveis de exercício da sinodalidade na Igreja. O primeiro realiza-se nas Igrejas particulares, com os seus vários organismos de comunhão. No segundo, estão as Províncias Eclesiásticas e as Conferências Episcopais. O terceiro nível é o da Igreja universal, com o Sínodo dos Bispos. “O Sínodo dos Bispos, representando o episcopado católico, torna-se expressão da colegialidade episcopal dentro de uma Igreja toda sinodal”, afirma Francisco.

De acordo com o seu sentido etimológico, o termo grego “sínodo” significa “caminhar juntos”. A sinodalidade expressa a participação e a comunhão em vista da missão; não é algo instrumental, mas pertence à natureza da Igreja. Entretanto, o papa Francisco nos alerta que o conceito de sínodo é “fácil de exprimir em palavras, mas não de ser colocado em prática”. Para tanto, é fundamental retomar a eclesiologia do Concílio Vaticano II que nos apresenta a Igreja como “mistério”, sinal e instrumento de comunhão, e como “Povo de Deus”. De um povo composto pela diversidade de vocações e ministérios, mas que “reina entre todos verdadeira igualdade quanto à dignidade e ação comum a todos os fiéis na edificação do Corpo de Cristo” (Lumen Gentium 32). Trata-se de uma Igreja servidora, ministerial, na qual a autoridade se expressa como serviço e o próprio Sucessor de Pedro é servus servorum Dei.

55 Assembleia Geral da CNBB em Aparecida

Uma Igreja onde todos são chamados a “caminhar juntos” valoriza a escuta e o diálogo. Em pleno Concílio Vaticano II, Paulo VI afirmou que “a Igreja se faz diálogo”, enfatizando a atitude de escuta (Ecclesiam suam). Francisco ressalta a “escuta” como exigência fundamental para a sinodalidade. “Uma Igreja sinodal é uma Igreja da escuta, ciente de que escutar é mais do que ouvir. É uma escuta recíproca, onde cada um tem algo a aprender. Povo fiel, Colégio Episcopal, Bispo de Roma: cada um à escuta dos outros; e todos à escuta do Espírito Santo”.

A colegialidade episcopal em uma Igreja sinodal não diminui a autoridade do papa, nem a autonomia de cada bispo. A colegialidade é entendida e exercida “não só cum Petro, mas também sub Petro”, referindo-se ao Sucessor de Pedro, o que “não é uma restrição da liberdade, mas uma garantia da unidade”, esclarece o papa Francisco.

Este tema atual, belo e exigente, tem implicações importantes para a compreensão e a vivência da missão evangelizadora em uma “Igreja em saída”. Para compartilhar a alegria do Evangelho e fazer discípulos, somos chamados a caminhar juntos, convivendo fraternalmente e trabalhando juntos, no diálogo e no serviço, revalorizando a dimensão comunitária da missão, a ser assumida como Igreja, na Igreja e com a Igreja.

Leia também: A alegria do Evangelho para uma Igreja em saída – Dom José Antonio Peruzzo

A Igreja em saída na perspectiva ad gentes – Padre Estêvão Raschietti

Cardeal Sergio da Rocha, arcebispo de Brasília e presidente da CNBB. Publicado no SIM n. 2 – abril- junho de 2017.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Relacionados

slot online situs slot gacor slot online slot gacor slot gacor situs judi slot gacor situs judi slot online situs judi toto slot gacor slot gacor judi slot slot online slot online judi slot slot gacor situs slot slot gacor 2022 slot gacor slot gacor slot gacor slot gacor slot gacor slot gacor situs slot gacor slot gacor https://cedu.uninorte.edu.co/wp-includes/ https://web.ics.purdue.edu/~asub/wp-includes http://blog.iconect.pctguama.org.br/ https://votoinformado.unam.mx/wp-includes https://epay.guaynabocity.gov.pr/epay/wp-includes https://reclamos.sistemasmlh.gob.ar/css/ slot pulsa slot deposit pulsa http://statconfig.sci.unhas.ac.id/assets/nexus-slot http://icob.sci.unhas.ac.id/nexus-slot/ https://www.aris.sc.gov.br/frontend/web/images/ https://aptta.org.ar/wp-includes/ https://icvb.org.tr/wp-includes https://filba.org.ar/images/ https://apps.santaisabel.sp.gov.br/ https://santaisabel.sp.gov.br/esd/ https://tzg.ttf.unizg.hr/wp-includes/ https://iif.edu/images https://mannaandbaby.or.jp/wp-content/uploads/slot-gacor/ toto slot gacor toto slot gacor toto slot gacor toto slot gacor toto slot gacor

Link partner: 77lucks dewagg liveslot168 hoki99 luck365 qqmacan kingceme agen338 maxwin138 javaplay88 slot5000 idngg vegas88 gen777 mild88 kaisar888 gem188 ligaplay88 laskar138 slotsgg toto togel toto slot bet88 infini88 pg slot idn poker sbobet judi bola slot88 warungtoto pokerseri vegas77 vegasslot77