Projeto Igrejas Irmãs articula revitalização

Animando a missionariedade e a colaboração mútua entre Igrejas particulares no Brasil desde 1972, o projeto Igrejas Irmãs será revitalizado, com a revisão e atualização de suas perspectivas. É o que foi proposto no encontro realizado em Belém (PA), nos dias 17 e 18 de novembro. Várias ideias foram apresentadas na ocasião, quando 53 bispos, 22 padres, 11 leigos, três religiosas e dois diáconos, avaliaram a caminhada dos projetos Igrejas Irmãs no Brasil, resgataram o histórico e o itinerário desses projetos, celebraram e valorizaram os passos dados e as conquistas; e identificaram os desafios atuais.

O encontro realizado pela Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Missionária e a Cooperação Intereclesial da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) serviu para iluminar a caminhada realizada na perspectiva da animação e cooperação missionárias e perceber novas perspectivas para o encaminhamento futuro dos projetos Igrejas Irmãs, do qual fazem parte, principalmente dioceses e prelazias da região Amazônica. Neste sentido, a Comissão Episcopal para a Amazônia da CNBB foi parceira na realização do encontro.

img_0222Dezesseis propostas surgiram do encontro sobre as Igrejas Irmãs. Entre elas, levar em conta as realidades sociais, ambientais e urbanas da Amazônia, bem como o avanço organizado e articulado do neopentecostalismo; aprofundar o sentido do envio do missionário; esclarecer as responsabilidades de cada Igreja em relação ao envio e acolhida de missionários; definir melhor a participação de leigos no processo missionário; fortalecer a consciência missionária em toda a diocese; e incentivar os Conselhos Missionários.

As propostas ainda visam incentivar a visita de bispos, padres e leigos de uma Igreja-irmãs à outra; a colaboração para que a Igreja particular que recebe a ajuda alcance sua sustentação; a preparação de seminaristas, enfatizando as experiências missionárias, em especial de férias, para que sejam instrumentos de fortalecimento do impulso missionário; e a participação da Organização dos Seminários e Institutos do Brasil (Osib) e do Conselho Nacional dos Presbíteros (CNP) no projeto.

Também foram ressaltadas indicações voltadas para a formação de lideranças e oferta de cursos específicos para os missionários, a partir do que já está disponível no Centro Cultural Missionário e nos institutos em Manaus, Belém e Porto Velho. Haverá ainda o levantamento dos missionários ad gentes, com a procura de ação conjunta com as novas comunidades envolvidas na missão além-fronteiras. Especial atenção será dada aos migrantes e pessoas que sofrem com o tráfico humano.

Os participantes do encontro pretendem abordar a temática em uma Assembleia Geral da CNBB.

Histórico
img_0232“O projeto Igrejas Irmãs foi criado pela CNBB, em fevereiro de 1972, depois que a sua presidência visitou várias dioceses e prelazias da Amazônia. Nesse mesmo ano, os bispos da Amazônia estiveram reunidos em Santarém e elaboram um documento que ainda hoje é marca importante para o trabalho de evangelização na Amazônia”, conta o bispo auxiliar de São Luís e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Missionária da CNBB, dom Esmeraldo Barreto de Farias.

O objetivo do Projeto Igrejas-irmãs é partilhar a fé, os dons da graça, as experiências pastorais, pessoas e recursos financeiros como gestos de caridade cristã para com as Igrejas da Amazônia e outras também necessitadas. “A Igreja que envia missionários também é beneficiada pelas experiências que vê e das quais participa através dos missionários que foram enviados”, sublinha dom Esmeraldo.

Durante o encontro realizado em Belém, o vigário geral das Pastorais da arquidiocese de Belém (PA), padre Raimundo Possidônio da Mata, fez a retrospectiva histórica do projeto, destacando alguns desafios que a Igreja na Amazônia enfrenta hoje.

No início, o projeto teve forte repercussão e um grande número de missionários foi enviado para a Amazônia e para o Nordeste. Somente a diocese de Caxias do Sul (RS), pioneira nesse projeto, enviou de 1972 a 1985, mais de 100 missionários para as regiões.

De 22 a 25 de agosto de 1989, a comissão da CNBB responsável pela dimensão missionária organizou um encontro com representantes das Igrejas Irmãs. A fim de dinamizar o projeto, os bispos ressaltaram a missionariedade da Igreja, evangelização das culturas, atendimento a situações missionárias mais desafiadoras, a missão como eixo da formação. Os seminários e casas de formação, de acordo com os apontamentos dos prelados, deveriam proporcionar aos formandos a experiência da comunidade apostólica chamada ao seguimento de Jesus missionário. Também foi uma proposta da época a formação de um clero local, a participação dos leigos e a missão ad gentes. Também foi assumida a constituição de uma coordenação.
Partilha e apoio

Durante o encontro, os bispos e demais participantes tiveram oportunidade de partilharem suas experiências e de refletirem sobre os principais desafios. Dom Esmeraldo contou ainda que o bispo de São Gabriel da Cachoeira (AM), dom Edson Damian, fez “um importante trabalho sobre a Igreja na Amazônia e a solidariedade no projeto Igrejas Irmãs”.

As palavras do arcebispo de Brasília (DF) e presidente da CNBB, cardeal Sergio da Rocha, animaram os participantes. Impossibilitado de participar por conta do consistório no qual foi criado cardeal, dom Sergio assegurou-lhes as suas orações, afirmando que levava consigo a Amazônia e a Missão para Roma e, particularmente para o papa Francisco, “que tem demonstrado, de modo admirável, tanto amor e solicitude pela Amazônia, em tantas ocasiões, como pude pessoalmente testemunhar”.

O presidente da CNBB considerou que o encontro teve “a esperança de fortalecer a comunhão e a cooperação intereclesial” e que serviu de estímulo para a partilha e o compromisso missionário da Igreja no Brasil com a Igreja na Amazônia Legal. “Os projetos missionários desenvolvidos na Amazônia com o generoso apoio das Igrejas Irmãs servem de sinal, recordação e incentivo para que toda a Igreja no Brasil seja, de fato, missionária, ‘em estado permanente de missão’, também além-fronteiras das Igrejas particulares. Esperamos, com a graça de Deus, redobrar os esforços”, desejou o cardeal.

Fonte: CNBB

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Relacionados

slot online situs slot gacor slot online slot gacor slot gacor situs judi slot gacor situs judi slot online situs judi toto slot gacor slot gacor judi slot slot online slot online judi slot slot gacor situs slot slot gacor 2022 slot gacor slot gacor slot gacor slot gacor slot gacor slot gacor situs slot gacor slot gacor https://cedu.uninorte.edu.co/wp-includes/ https://web.ics.purdue.edu/~asub/wp-includes http://blog.iconect.pctguama.org.br/ https://votoinformado.unam.mx/wp-includes https://epay.guaynabocity.gov.pr/epay/wp-includes https://reclamos.sistemasmlh.gob.ar/css/ slot pulsa slot deposit pulsa http://statconfig.sci.unhas.ac.id/assets/nexus-slot http://icob.sci.unhas.ac.id/nexus-slot/ https://www.aris.sc.gov.br/frontend/web/images/ https://aptta.org.ar/wp-includes/ https://icvb.org.tr/wp-includes https://filba.org.ar/images/ https://apps.santaisabel.sp.gov.br/ https://santaisabel.sp.gov.br/esd/ https://tzg.ttf.unizg.hr/wp-includes/ https://iif.edu/images https://mannaandbaby.or.jp/wp-content/uploads/slot-gacor/ toto slot gacor toto slot gacor toto slot gacor toto slot gacor toto slot gacor

Link partner: 77lucks dewagg liveslot168 hoki99 luck365 qqmacan kingceme agen338 maxwin138 javaplay88 slot5000 idngg vegas88 gen777 mild88 kaisar888 gem188 ligaplay88 laskar138 slotsgg toto togel toto slot bet88 infini88 pg slot idn poker sbobet judi bola slot88 warungtoto pokerseri vegas77 vegasslot77