Juventude Missionária de Roraima intensifica formação

A Juventude Missionária (JM) de Roraima realizou mais um encontro estadual com jovens da capital e da comunidade Indígena Malacacheta, na região Serra da Lua. O encontro reuniu, nos dias 19 a 21 de maio, dez jovens para estudar o tema “Maria, primeira missionária”. Inspirados no lema “Bem-aventurara aquela que acreditou” (Lc 1,45), a programação teve início com uma celebração Eucarística presidida pelo pároco da Área Missionária Caranã, padre Sérgio Santino Weber, IMC, e concelebrada pel278d33c3-983f-4d89-b8c6-f2fefb769b21o padre Badacer Neto, secretário nacional da Obra da Propagação da Fé que assessorou os trabalhos.

Em uma das formações, o noviço marista, Irmão Carlos Alexandre refletiu sobre a importância missionária de Nossa Senhora.

O religioso mostrou o grande valor de conhecer a Palavra de Deus e motivou os jovens com um versículo do Evangelho de Lucas, onde narra que uma mulher grita do meio da multidão, afirmando: bem-aventurada é aquela que gerou Jesus. Ele respondeu que mais felizes, ainda, são aqueles que ouvem a Palavra de Deus e a põem em prática (Lc 11, 27).

Foi apresentado ao grupo a primeira missão de Maria, quando sai e parte ao encontro de sua prima Isabel. Os jovens falaram sobre a importância da saída de Nossa Senhora e de seu encontro. Sair de nossas comunidades (comodidade) e ir ao encontro dos que mais necessitam, sendo esse o mesmo convite que nos faz o papa Francisco.

Padre Badacer destacou que, mais do que sair, “devemos sair com a alegria. Nós que já conhecemos e vivemos o Evangelho, devemos anunciá-lo a todos com a alegria. Cristo ressuscitou e habita dentro de cada um de nós”, disse padre Badacer.

Irmã Maria Inês, da Providencia de GAP, sublinhou que “5a192ce9-9a36-4415-a4e6-abe3fa2baf8bMaria é Santa, mas ela era humana como nós, e tinha, também, suas dificuldades. Era jovem, mulher, grávida e prometida em casamento. Mas, mesmo com todos os obstáculos, ouviu a voz de Deus e sem hesitar aceitou sua missão. Nós, a exemplo de Maria, devemos ouvir a voz de Deus e colocar nossa vida a serviço do seu Reino”.

Padre Badacer foi convidado a participar do programa Pró-vocação, apresentado pela Irmã Antônia Storti, das Irmã Ursulinas, na Rádio FM Monte Roraima, pertencente à diocese. Na ocasião, ele relatou sua caminhada, e como recebeu o convite do padre de sua paróquia para tornar-se, também ele, padre. Falou também sobre o carisma da Juventude Missionária e convidou os jovens que desejam ingressar na vida missionária, “seja ela leiga ou consagrada, a buscarem apoio de seus padres, irmãs, e animadores da diocese”.

Para a jovem Lara Beatriz “o padre Badacer ajudou a esclarecer coisas, como sermos interdependentes, porque às vezes caminhamos individualmente e não conseguimos alcançar nossos objetivos. Com suas explicações ele nos ajudou enquanto grupo, pois as vezes precisamos de algo que não sabemos definir e ele vei0f0934d1-fa94-4d3a-97a9-296d93d389a9o como uma luz”.
A programação incluiu a oração do Terço Missionário após o qual, padre Badacer falou sobre o 4º Congresso Missionário Nacional a ser realizado nos dias 7 a 10 de setembro deste ano, em Recife.

Dom Mário Antônio, bispo da diocese de Roraima, esteve na reunião e falou sobre a importância de “sairmos ao encontro do Cristo nas pessoas que mais precisam para anunciar a Boa Nova”. O bispo ressaltou o compromisso com o Evangelho de Cristo.

A jovem Francinete Souza pertence à comunidade indígena Malacacheta. “O encontro trouxe mais conhecimento, mas também fortalecimento para a caminhada de grupo. Evangelizar é nossa missão. Esse é nosso gesto concreto. Vamos plantar a semente da missão no coração de outros jovens, para eles servirem cada vez mais nosso Cristo”, afirmou a jovem.

Na opinião de Tainara Aguiar, “o encontro dcddf2683-aea4-4b74-94d8-591a8b46cfbca JM foi muito bom para os jovens conhecerem mais a Juventude Missionária, porque as vezes, eles participam mas não entendem qual é sua missão. Serviu para motivar os jovens para amar e defender as missões”.

Segundo Marcos Antônio Pereira, “tudo o que nós aprendemos nunca é demais. Tivemos a experiência de conhecer outras pessoas, ideias novas, novos ideais. Os jovens do nosso grupo estavam desmotivados e esse encontro serviu para nos fazer perceber que, apesar das dificuldades, devemos continuar firmes”.

Já para o jovem Luís Fernandes, “essa formação foi muito boa para nós, jovens, foi de muita importância para dar um ‘empurrão’ em nosso grupo, temos que ser sempre persistentes. O lema ‘Bem-aventurada aquela que acreditou’, nos motiva a tomarmos Maria como exemplo de missionária, aquela que saiu e levou o nome de Cristo. Assim devemos ser todos nós”.

Com informações da JM de Roraima

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram

Comentários

Uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Relacionados