Cardeal Tagle: o Batismo é o início de um caminho de fé

O cardeal Luis Tagle lembra aos pais o profundo significado do sacramento do Batismo, “às vezes reduzido ao costume” ou mesmo considerado secundário em relação à festa com parentes e amigos, em que o profundo significado espiritual do Batismo pode ser perdido de vista. O purpurado filipino dirige-se também aos padrinhos dos batizados: “Mais do que simplesmente dar presentes em dinheiro aos afilhados – afirma -, a pessoa se torna um bom padrinho e madrinha com o dom de ajudar os pais a fazer seus filhos crescer na fé”

“O Batismo é o início de um caminho de fé.” Os pais, que criam seus filhos dando-lhes educação, alimentação, instrução, também são chamados a cultivar o dom da fé “e a torná-los partícipes da oração e da vida da comunidade cristã”.

Foi o que disse o prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos, cardeal Luis Antonio Tagle, numa missa celebrada na segunda-feira, 12 de abril, na Basílica de Santa Maria Maior, em Roma, na qual batizou duas crianças filipinas, um menino e uma menina.

Risco de perder de vista o significado espiritual do Batismo
O prefeito de Propaganda Fide lembrou aos pais o profundo significado do sacramento do Batismo, “às vezes reduzido ao costume” ou mesmo considerado secundário em relação à festa com parentes e amigos, em que o profundo significado espiritual do Batismo pode ser perdido de vista.

O purpurado filipino quis se dirigir também aos padrinhos dos batizados: “Mais do que simplesmente dar presentes em dinheiro aos afilhados – disse ele -, a pessoa se torna um bom padrinho e madrinha com o dom de ajudar os pais a fazer seus filhos crescer na fé”.

Capelania filipina em Roma
A celebração, organizada pela Capelania filipina em Roma, só pôde ser assistida por um número limitado de pessoas dentro da Basílica, devido aos protocolos de saúde anti-Covid. Para alcançar muitos outros fiéis, a missa foi transmitida no Facebook e foi organizada também uma transmissão ao vivo em uma grande tela na Basílica de Santa Pudenziana, a igreja nacional dos filipinos em Roma.

Mais de 150 mil filipinos vivem na Itália, a maioria deles trabalhadores migrantes, presentes principalmente nas cidades de Roma e Milão. A missa presidida pelo cardeal Tagle fazia parte das celebrações organizadas pela Capelania filipina em Roma para marcar os 500 anos de cristianismo nas Filipinas (1521-2021).

Assistência social e pastoral aos migrantes filipinos
A Capelania do Centro Filipino é uma realidade que presta assistência social e pastoral aos migrantes filipinos e suas famílias. Ponto de referência para as 63 comunidades católicas filipinas da Diocese de Roma (com cerca de 47 mil membros), tem sua sede na Basílica de Santa Pudenziana, na zona Monti, desde 1991.

Entre os objetivos do Centro estão: a formação espiritual; a participação nas atividades das paróquias locais; o fortalecimento dos valores e do patrimônio cultural filipino; a promoção de atividades esportivas e socioculturais.

Atividades da Capelania
A Capelania trabalha através de cinco comissões diferentes, cada uma lidando com uma tarefa específica: Adoração; Educação; Ação Sociocultural; Saúde e Esportes; Temporalidades e Finanças; Juventude e Família.

Fonte: Fides/Vatican News

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Relacionados