Cardeal Tagle: a fé consola migrantes longe de casa

“A fé dos filipinos está sendo transmitida por milhões de migrantes cristãos em diversas partes do mundo. Quando sentem saudades de suas famílias, recorrem à paróquia, sua segunda casa”. São palavras do Cardeal Tagle no final da Missa concelebrada com o Papa Francisco neste domingo (14), pelos 500 anos de Evangelização das Filipinas

O Santo Padre presidiu, neste domingo (14/3), a uma Santa Missa de ação de graças, na Basílica Vaticana, por ocasião dos 500 anos de Evangelização das Filipinas. Ao término da celebração Eucarística, o Cardeal Luís Antonio Gokim Tagle, Prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos, que também é filipino, dirigiu ao Papa palavras de estima e gratidão, em nome da comunidade de filipinos, presente em Roma, e de todo o povo das Filipinas. O Cardeal Tagle agradeceu ao Santo Padre por esta solene celebração Eucarística de ação de graças pela chegada da fé cristã às Filipinas, há quinhentos anos.

Um dom de Deus
Em seu pronunciamento, o Cardeal recordou o amor filial ao Papa por parte dos filipinos das 7641 ilhas do país, como também dos mais de dez milhões de migrantes em quase cem países do mundo. A chegada da fé cristã às Filipinas é um dom de Deus, recebido pela maioria da população, que lhe deu uma conotação específica. As Filipinas são o terceiro país do mundo em número de católicos. Este sim é um verdadeiro dom de Deus! Pode-se atribuir a fé duradoura do povo filipino apenas ao amor, à misericórdia e à fidelidade de Deus, não aos nossos próprios méritos. Ao longo destes 500 anos – de 1521 a 2021 – o povo filipino recebeu muitos dons de Deus: missionários pioneiros, Congregações religiosas, clérigos, mães e pais, professores, catequistas, paróquias, escolas, hospitais, orfanatos, agricultores, operários, artistas e pobres, que representam o rosto de Jesus.

A fé cristã para o mundo
Graças a Deus, os cristãos filipinos continuam a receber a fé, fonte de esperança, apesar da pobreza, desigualdade econômica, mudanças políticas, tufões, erupções vulcânicas, terremotos e, agora, a pandemia. Os filipinos estão cientes da grande contribuição que proporcionam para a fé cristã, a formação da cultura e o desenvolvimento da nação. Este grande dom de Deus, afirmou o Cardeal filipino, deve ser compartilhado: o dom da fé, dado gratuitamente por Deus, agora está sendo transmitido por milhões de migrantes cristãos em diversas partes do mundo, apesar da saudade e da distância de seus familiares. Diante dos momentos de solidão, destaca o Cardeal Tagle, os migrantes filipinos encontram forças em Jesus, que caminha com eles, e em Maria, nossa Mãe, e nossos Santos protetores. Quando sentem saudades de suas famílias, recorrem à paróquia, sua segunda casa. Quando não têm com quem conversar, abrem seus corações a Jesus e meditam a sua Palavra. Em seu apostolado pelo mundo, os migrantes filipinos cuidam das crianças e dos idosos, com se fossem sua própria família. Por fim, o Cardeal Tagle elevou seu pensamento a Deus, em nome dos migrantes filipinos, pedindo para que a beleza da Igreja, a justiça, a misericórdia e a alegria possam chegar até aos confins da terra.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Relacionados