Assembleia Nacional da IAM: pensando o futuro da caminhada da IAM no Brasil

Aconteceu dos dias 24 a 26 de setembro, a 24ª Assembleia Nacional da IAM, de forma remota, reunindo cerca de 90 assessores, membros das coordenações dos 19 regionais da CNBB, que representam os 26 estados do país e o Distrito Federal, além de outros convidados, que avaliaram e planejaram a caminhada da IAM no Brasil, sob a perspectiva do tema: “Animação e cooperação missionária orientada para a missão ad gentes”.

A realização de uma assembleia é sempre desafiadora, ainda mais nesses novos tempos que exigem sua realização virtual, mas segundo a secretária nacional da IAM, a irmã Antônia Vânia Alves de Souza (IFSFM) o compromisso dos participantes contribuiu para que os objetivos do encontro fossem alcançados. “Penso que o desafio, foi trazer todos das equipes estaduais e principalmente mantê-los numa dinâmica diferente da presencial, sem que se tornasse cansativo ou desmotiva-los, mas, a participação ativa de todos, superou as expectativas”, explicou.

Para a assessora Emanuele Tais Schneider, que é consagrada secular no Instituto Secular Comunidade Missionária Sagrado Coração de Jesus e está em missão no estado do Mato Grosso, “os trabalhos foram conduzidos de maneira muito leve, utilizando os meios tecnológicos da melhor maneira possível para que todos se sentissem próximos uns dos outros como se estivéssemos de maneira presencial”.

No primeiro dia da Assembléia os participantes foram convidados a fazer memória da caminhada que a IAM percorreu nos últimos anos, através da fala de Irmã Patrícia, secretária nacional da obra entre os anos de 2017 e 2020, que nos recordou os objetivos traçados para os eixos articulação, formação e missão do último triênio. Ao final de sua colocação, Irmã Patrícia recebeu uma homenagem, preparada pelos assessores do regional Sul 1, em agradecimento a sua dedicação e empenho pelo crescimento e fortalecimento da IAM, no período em que esteve à frente desta obra.

A irmã Hozana Alves de Souza, consagrada da Fraternidade Missionária Servas da Igreja, atualmente em missão na diocese de São José do Rio Preto, no estado de São Paulo (regional Sul 1), destacou que “as recordações e as memórias das assembleias anteriores foram momentos de rica formação, pois sem uma caminhada não tem como a gente avaliar o presente e os próximos anos”.

Ainda na sexta-feira, irmã Vânia apresentou as diretrizes da IAM no Brasil e as propostas de alterações, que foram enviadas aos participantes para leitura e estudo, até o domingo, dia determinado também para a votação a respeito das propostas e dos demais conteúdos contidos nas diretrizes.

O segundo dia de assembleia foi marcado pela realização de diversas atividades. Na parte da manhã os participantes foram divididos em grupos, para que pudessem partilhar suas opiniões a respeito das forças e fraquezas que experimentaram na execução do Plano Trienal.

Na parte da tarde, padre Maurício Jardim, diretor nacional das POM, ministrou uma formação a respeito do tema “Animação e cooperação missionária para a missão ad/inter gentes”, elucidando a importância de preparar as crianças e adolescentes para o conhecimento do que é a missão ad gentes.

Também durante a tarde, os participantes da assembleia receberam o padre Genilson Sousa, secretário nacional da Pontifícia Obra Missionária da Propagação da Fé, que falou sobre a relação de proximidade entre a IAM e a JM; o bispo dom Odelir José Magri, bispo diocesano de Chapecó e presidente da Comissão Episcopal para Ação Missionária e Cooperação Interclesial da CNBB; os assessores da Comissão Episcopal para Ação Missionária e Cooperação Interclesial, padre Daniel Rochetti e irmã Sandra Amado; e da secretária internacional da IAM, irmã Roberta Tremarelli, que nos enviaram palavras de coragem.

Para nossa secretária nacional: “a presença da nossa secretária internacional da Obra, irmã Roberta Tremarelli, que nos aproximou ainda mais da nossa missão e compromisso com o mundo inteiro através do nosso carisma da Oração, sacrifício e solidariedade”, disse irmã Vânia.

Um outro momento de grande destaque na tarde de sábado, foi a participação das adolescentes Lorena Malacarne, da IAM do Espírito Santo (regional Leste 3) e de Thalita de Jesus, da IAM do Piauí (regional Nordeste 4). Para Thalita foi um momento de alegria poder representar tantas crianças e adolescentes. “Foi uma experiência muito boa, pude aprender bastante com eles e falar um pouquinho das minhas expectativas para a IAM que é de crescimento da participação de mais crianças e adolescentes”, relatou a adolescente missionária.

Segundo, a irmã Hozana Souza, a presença das duas adolescentes no segundo dia da assembleia “mostra que realmente a IAM está conseguindo cada vez mais mostrar sua capacidade, pois as meninas responderam, exatamente aquilo que todos nós sonhamos, como cristãos firmes na fé, com pés no chão, seguindo Jesus Cristo”, frisou.

No domingo, houve a leitura das diretrizes e a aprovação desta e das propostas que foram citadas no primeiro dia da assembleia; uma síntese das atividades do dia anterior que recordou a manutenção dos três eixos para o plano trienal (2022-2024), e o surgimento do eixo espiritualidade, como um eixo transversal, presente nos outros três; e um momento de trabalho em grupo onde foram pensadas novas ações a serem desenvolvidas em cada eixo.

Ao final desses três dias de intenso trabalho de avaliação, partilha, escuta, diálogo e planejamento, os participantes foram mais uma vez enviados à missão, através do rito de envio e a bênção ministrada pelo padre Maurício Jardim.

A importância da Assembléia

Irmã Hozana que participou da assembleia pela primeira vez manifestou sua alegria por ter participado do evento e recordou a importância para os novos rumos da IAM nos próximos anos: “foi um momento extremamente importante nesses tempos de pandemia. A resposta para essa caminhada se deu nessa assembleia, onde em nenhum momento os participantes demonstraram desânimo, mas sim confiança pela missão”, apontou.

A assessora Emanuele Schneider foi outra pessoa que sentiu essa alegria por participar desse momento de grande júbilo por reunir pessoas de diferentes estados, imersas em diferentes contextos, mas que trabalham em prol de uma única causa: tornar Jesus Cristo conhecido e amado. “A IAM vive um bonito processo de escuta que promove a sinodalidade tão sonhada por nosso querido Papa Francisco, a partir dessa escuta e partilha nos tornamos uma igreja cada vez mais em saída. Esses momentos fortalecem o compromisso missionário na base e impulsiona cada assessor, assessora, coordenador, coordenadora a partir para a missão com ardor no coração”, opinou a consagrada.

As expectativas para a caminhada da IAM no próximo triênio

Diante dos muitos sonhos que cada coração missionário deseja realizar, irmã Vânia nos recorda que não podemos deixar que a obra pereça diante das dificuldades que existem. “Através de uma consciência madura do nosso ser missionário, que possamos levar adiante nosso compromisso com a missão no mundo inteiro, por meio da vivência do nosso carisma”, explicou a secretária nacional.

É nesse contexto, que as expectativas para os próximos anos é de uma longa caminhada, com muitos trabalhos, mas com a certeza da colheita de bons frutos. A assesora Emanuele Schneider espera que o triênio colabore para “o fortalecimento do protagonismo das crianças e adolescentes pode promover uma expansão da obra pelo país, pois eles são os grandes responsáveis pela missão na IAM”.

Com grande alegria e amor pela missão, irmã Vânia nos enviou uma mensagem para nos encorajar a seguirmos em nossa missão: “Queridos missionários da IAM, crianças, adolescentes, assessores e famílias, que nunca nos falte o ardor missionário em nosso testemunho de vida. Sejamos testemunhas da compaixão e da esperança como nos pede o nosso Papa Francisco”, enfatizou.

 

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Relacionados