A busca por sobrevivência dos imigrantes venezuelanos

Boa Vista (RR), 5 horas da manhã, em frente a Polícia Federal (PF), uma fila extensa, são venezuelanos aguardando para dar entrada a regulamentação dos documentos. Nas praças, debaixo das árvores, muitas pessoas dormem ao relento. Próximo à rodoviária, debaixo de uma pequena árvore, entre tantos imigrantes, um casal com duas crianças está sentado, como que vigilante. Diante deles uma pequena mala e o sol que começava a nascer.

PacaraimaNa estrada que liga à fronteira Venezuelana, com frequência encontra-se imigrantes sob o sol de 40 graus, percorrendo o trajeto para chegar a Boa Vista. No fim da tarde, o grupo que marcha rumo à capital de Roraima é maior. Na fronteira, no posto da Polícia Federal o fluxo de pessoas é intenso. Segundo a PF, 80% são venezuelanos chegando ao Brasil. No total o movimento migratório gira em torno de 1200 pessoas por dia.Em Pacaraima (RR), o abrigo de passagem que acolhe o povo indígena Warao foi preparado para receber 190 pessoas, mas hoje abriga 500. Dessas, 200 são crianças. A mãe de 15 anos, pálida e muito magra, sem força no falar está deitada na rede com os gêmeos de dois meses. Os pequenos aparentam recém-nascidos. O jovem pai Worao está no abrigo há três meses. Ele imigrou com o filho de 8 anos. Com lágrimas nos olhos conta que a esposa faleceu, os pais também, e por não ter comida em seu país veio ao Brasil com o filho e uma irmã. “No Brasil a situação está bem melhor para nós”, disse.

Pacarima1A alimentação chega ao abrigo duas vezes por semana. A distribuição é feita por famílias. Eles guardam em pacotes e sacolas próximo às redes onde dormem. O preparar da alimentação é improvisado no pátio. Cada família faz um pequeno fogo, improvisa as panelas para o cozimento. São centenas de fogos e as famílias ao redor esperam a comida. Eles optam por uma alimentação diária, isso para que possam garantir uma refeição por dia até chegar a próxima distribuição de alimentos.

Há muitos voluntários que procuram amenizar o sofrimento dos imigrantes. Mas não têm dado conta. Padre Jesús López Fernández, de Pacaraima, oferece cerca de 800 cafés da manhã, diariamente. Para muitas pessoas é a única refeição do dia. Igreja Católica, a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias e os Missionário da Fraternidade Federação Humanitária Internacional têm somado na acolhida aos imigrantes.

Pacarima3Ação cristã e humanitária – A Comissão Episcopal Pastoral Especial para o Enfrentamento ao Tráfico Humano (CEPEETH) da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) realiza a partir de ontem (28) em Pacaraima e Boa Vista a “Missão Fronteira Venezuela” e permanece até 4 de março de 2018. O objetivo é conhecer in locu a situação que envolve a imigração na fronteira entre o Brasil e a Venezuela, em especial verificar a ocorrência do tráfico humano e elaborar um documento de análise e proposição acerca das contribuições que a Igreja pode oferecer, em termos de incidência, assistência e denúncia.

A Comitiva passou o dia em Pacaraima. O bispo de Roraima, dom Mario Antônio, afirma que a CEPEETH “traz muita esperança tanto para a diocese de Santa Elena [cidade venezuelana] quanto para nós de Roraima no sentido de promover e integrar esses nossos irmãos e irmãs. Essa visita é um momento de unção com o óleo da alegria, da ternura e da confiança e do fortalecimento para nós”, disse o bispo.

pacaraima2Para a colaboradora da CEPEETH, irmã Rosita Milesi, “a visita da Comissão visa reunir informações e levar uma percepção mais clara que se passa aqui, dos grandes desafios que há, os grandes problemas que os imigrantes enfrentam. As explorações a que são submetidos e como depois apresentar e debater a implementação de ações para fortalecer a ação da Igreja e a presença da CNBB aqui apoiando tanto a Igreja local como outas iniciativas contribuem para dar uma resposta de carinho de acolhida a esses migrantes, combatendo a xenofobia, a discriminação e até as medidas governamentais que são restritivas para que essas pessoas tenham uma acolhida minimamente digna.

Nossa visita quer sobretudo olhar o tema do trafico humano e como conseguir informações mais precisa para dar visibilidade e essa problemática”, conta a religiosa. “Os migrantes não são perigosos, mas estão em perigo”, papa Francisco.

Texto Osnilda Lima, fsp
Fotos Felipe Larozza

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Relacionados

slot online situs slot gacor slot online slot gacor slot gacor situs judi slot gacor situs judi slot online situs judi toto slot gacor slot gacor judi slot slot online slot online judi slot slot gacor situs slot slot gacor 2022 slot gacor slot gacor slot gacor slot gacor slot gacor slot gacor situs slot gacor slot gacor https://cedu.uninorte.edu.co/wp-includes/ https://web.ics.purdue.edu/~asub/wp-includes http://blog.iconect.pctguama.org.br/ https://votoinformado.unam.mx/wp-includes https://epay.guaynabocity.gov.pr/epay/wp-includes https://reclamos.sistemasmlh.gob.ar/css/ slot pulsa slot deposit pulsa http://statconfig.sci.unhas.ac.id/assets/nexus-slot http://icob.sci.unhas.ac.id/nexus-slot/ https://www.aris.sc.gov.br/frontend/web/images/ https://aptta.org.ar/wp-includes/ https://icvb.org.tr/wp-includes https://filba.org.ar/images/ https://apps.santaisabel.sp.gov.br/ https://santaisabel.sp.gov.br/esd/ https://tzg.ttf.unizg.hr/wp-includes/ https://iif.edu/images https://mannaandbaby.or.jp/wp-content/uploads/slot-gacor/ toto slot gacor toto slot gacor toto slot gacor toto slot gacor toto slot gacor

Link partner: 77lucks dewagg liveslot168 hoki99 luck365 qqmacan kingceme agen338 maxwin138 javaplay88 slot5000 idngg vegas88 gen777 mild88 kaisar888 gem188 ligaplay88 laskar138 slotsgg toto togel toto slot bet88 infini88 pg slot idn poker sbobet judi bola slot88 warungtoto pokerseri vegas77 vegasslot77