28 agentes pastorais mortos em 2016

A Agência Fides publicou, nesta sexta-feira (30/12), o relatório anual sobre os agentes pastorais mortos durante 2016. Este ano, foram mortos no mundo 28 agentes pastorais católicos, ou seja, 14 sacerdotes, 9 religiosas, 1 seminarista e 4 leigos.

Pelo oitavo ano consecutivo, o número mais elevado se verificou na América onde foram assassinados 12 agentes pastorais (9 sacerdotes e 3 religiosas); na África, foram mortos 8 (3 sacerdotes, 2 religiosas, 1 seminarista e 2 leigos); na Ásia, foram assassinados 7 (1 sacerdote, 4 religiosas e 2 leigos); e na Europa, foi morto 1 sacerdote, o padre francês Jacques Hamel, vítima de terrorismo enquanto celebrava a missa.

afp6053454_articoloComo aconteceu nos últimos anos, a maior parte dos agentes pastorais morreu depois de tentativas de roubo ou furto, perpetradas violentamente em contextos marcados pela degradação moral, pobreza econômica e cultural, pela violência como regra de comportamento, e pela falta de respeito pelos direitos humanos e pela vida.

Nestes contextos, os sacerdotes, as religiosas e os leigos assassinados estavam entre aqueles que denunciavam com coragem as injustiças, as discriminações, a corrupção e a pobreza em nome do Evangelho. Trabalhavam junto com os mais pobres e alguns foram mortos pelas próprias pessoas que ajudavam.

O relatório da Agência Fides recorda os três sacerdotes sequestrados e mortos, no México, pelo compromisso na luta contra o narcotráfico, e também o sacerdote mexicano padre José Luis Sánchez Ruiz, da diocese de San Andres Tuxtla, Veracruz, sequestrado e depois libertado com “sinais evidentes de tortura”, depois de receber ameaças por causa das críticas contra a corrupção e o crime.

Outros agentes foram mortos no Brasil, Venezuela, Colômbia, Haiti, e também, na Flórida, Estados Unidos. Na Nigéria, Sudão do Sul e República Democrática do Congo, sacerdotes, religiosas e agentes da Caritas perderam a vida, vítimas de emboscadas e agressões.

Agentes pastorais foram mortos nas Filipinas, Indonésia, Síria, e em março, quatro Missionárias da Caridade foram assassinadas no Iêmen.

No relatório emerge também a preocupação da comunidade cristã por outros agentes pastorais sequestrados ou desaparecidos, dos quais não se têm mais notícias.

A Agência Fides recorda que no elenco anual, publicado com uma breve biografia de cada um dos agentes pastorais mortos, deve ser acrescentada a lista longa de muitos homens e mulheres, dos quais talvez nunca teremos notícias, que em todos os cantos da Terra sofrem e pagam com a própria vida a sua fé em Cristo.

Fonte: Agência Fides

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram

Comentários

Uma resposta

  1. DEUS TENHA MISERICÓRDIA DE CADA UM DE NÓS. QUE SUAS ALMAS DESCANSE EM PAZ NOS BRAÇOS DO PAI. DEUS ABENÇOE TODOS OS MISSIONÁRIOS E MISSIONÁRIAS QUE DOAM SUAS VIDAS EM PROL A MISSÃO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Relacionados