Um mês extraordinário para a missão

Um mês extraordinário para a missão

Aventura de fé no caminho da missão ad gentes.

Por Pe. Fabrizio Meronni* 

O Papa Francisco anunciou publicamente para toda a Igreja, durante o ângelus do dia 22 de outubro de 2017, Dia Mundial das Missões, a sua intenção de proclamar um Mês Missionário Extraordinário em outubro de 2019, para celebrar o centenário da carta Apostólica Maximum Illud de seu predecessor o Papa Bento XV. Nesse mesmo dia, o santo Padre enviou uma carta ao Cardeal Fernando Filoni, prefeito da Congregação para Evangelização dos Povos e presidente do comitê supremo das Pontifícias Obras Missionárias (POM), encomendando “a tarefa de preparar esse evento, especialmente a partir da ampla sensibilização junto às Igrejas particulares, dos Institutos de vida consagrada e Sociedades de vida apostólica, assim como associações, movimentos, comunidades e outras realidades eclesiais”.

Para reavivar a consciência batismal do Povo de Deus em relação à missão da Igreja, o Papa Bergoglio escolheu, para o Mês Missionário Extraordinário, o tema “Batizados e enviados: a Igreja de Cristo em missão no mundo”. Despertar a consciência da missio ad gentes e retomar, com novo impulso, a responsabilidade de proclamar o Evangelho combinam com a solicitude pastoral do Papa Bento XV em Maximum Illud e a vitalidade missionária expressada pelo Papa Francisco na Evangelii Gaudium: “A saída missionária é o paradigma de toda obra da Igreja” (EG 15). Trata-se de “por a missão de Jesus no coração da Igreja, transformando-a em critério para medir a eficácia de suas estruturas, os resultados de seu trabalho, a fecundidade de seus ministros e a alegria que eles são capazes de suscitar. Porque sem alegria não se atrai ninguém” (Reunião do Comitê diretivo do CELAM, Bogotá, 7 de setembro de 2017).

O compromisso pela conversão pessoal e comunitária a Jesus Cristo crucificado, ressuscitado e vivo em sua Igreja, renovará o ardor e paixão por testemunhar ao mundo, pela proclamação e experiência cristã, o Evangelho da vida e da alegria pascal (Lc 24, 46-49).

São quatro dimensões indicadas pelo Papa para viver, mais intensamente, o caminho de preparação e realização do Mês Missionário Extraordinário de outubro de 2019.
1. O encontro pessoal com Jesus Cristo vivo em sua Igreja: Eucaristia, Palavra de Deus, oração pessoal e comunitária.
2. O testemunho dos santos, dos mártires da missão e os confessores da fé, expressão das Igrejas dispersas em todo mundo.
3. Formação missionária: escritura, catequese, espiritualidade e teologia.
4. Caridade missionária.

infovaticana

Propagação da Fé e as Pontifícias Obras Missionárias 

A Congregação da Propaganda Fidei, fundada em 1622 por vontade do Papa Gregório XV, é responsável por promover, coordenar e dirigir o trabalho da evangelização dos povos e a cooperação missionária da Igreja. O Papa São Paulo VI em 1967, confirmando a validade de seu serviço apostólico, outorgou à Propaganda Fidei a denominação de Congregação para Evangelização dos Povos (CEP). A eficácia concreta da fé cristã por meio da caridade faz com que todos os batizados sejam responsáveis por apoiar e ajudar o Papa em sua missão como Pastor Universal. A oração, o sacrifício de si mesmo, as vocações missionárias e a ajuda material continuam representando o compromisso das Pontifícias Obras Missionárias (POM), nascidas nos séculos XIX e XX graças ao zelo missionário de cristãos leigos, leigas e clérigos.

Juntas, CEP e POM, estão requalificando o “esforço de arrecadar e distribuir ajudas materiais à luz da missão e da formação que se requer, para que a consciência, o conhecimento e responsabilidade missionária voltem a ser parte da vida ordinária de todo o Povo de Deus” (Papa Francisco aos diretores das POM, 1 de junho de 2018).

“As quatro Obras: Propagação da Fé (POPF), São Pedro Apóstolo (POSPA), Infância e Adolescência Missionária (IAM) e União Missionária (PUM) têm em comum o objetivo de promover o espírito missionário universal no Povo de Deus” (Redemptoris Missio, 84).

A POPF, fundada em Lyon (França) em 1822, pela venerável Pauline Marie Jaricot, promove entre os fiéis a oração, o sacrifício de si mesmo e a ajuda material para a missão, invocando a Deus o dom de homens e mulheres que consagrem suas vidas à missão ad gentes.

A IAM, fundada oficialmente em Paris em 1843 pelo bispo de Nancy (França), Dom Charles Auguste de Forbin Janson, convida a todas as crianças do mundo para que ajudem outras crianças, com a fé e a caridade, pela oração e o saber repartir, traduzidos pelo lema: crianças ajudam crianças.

A POSPA, fundada por Jeanne e Stéphanie Bigard em 1889 em Caen (França), anima e coordena a colaboração missionária por meio da oração e da oferta de ajuda materiais, para manter a formação de futuros presbíteros, aspirantes à vida consagrada e seus formadores, nas Igrejas jovens.

A PUM, inspirada no beato Paolo Manna, padre missionário do Pontifício Instituto das Missões Estrangeiras (PIME), foi aprovada pelo Papa Bento XV em 1916. É a alma das outras obras missionárias e propõe despertar, nas Igrejas, a paixão pela missão e contribuir na formação missionária e estimular a cooperação nas comunidades cristãs, sendo parte orante e concreta da atividade evangelizadora.

Ano 2022: Aniversário para a missão da Igreja

No ano de 2022 celebraremos alguns aniversários importantes. Entre eles, 400 anos de fundação da Congregação para Evangelização dos Povos; 200 anos de criação da Pontifícia Obra da Propagação da Fé; e 100 anos de elevação à natureza pontifícia e universal das três primeiras obras missionárias: Pontifícia Obra da Propagação da Fé, Pontifícia Obra da Infância e Adolescência Missionária e Pontifícia Obra de São Pedro Apóstolo.

Essas celebrações podem oferecer providencialmente, para toda a Igreja, uma oportunidade a mais para manter viva e ativa sua consciência batismal missionária. Se a crise da missão é uma crise de fé, a maturidade da fé da Igreja se manifesta com coragem em sua missão de atrair todos a Cristo. O Mês Missionário Extraordinário de outubro de 2019 pode ser ocasião para dar início a uma aventura de fé, de oração, de reflexão e caridade que não termina com outubro de 2019, mas que pode culminar em formas apropriadas de um apaixonado e cada vez mais renovado compromisso com a missão ad gentes, como motor e paradigma de toda vida e missão da Igreja.

* Secretário Geral da Pontifícia União Missionária

comment Ainda não há comentários.

Você pode ser o primeiro a deixar um comentário.

mode_editDeixe uma resposta

Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person. Required fields marked as *

menu
menu