Seminaristas de Minas Gerais refletem o Mês Missionário Extraordinário

Seminaristas de Minas Gerais refletem o Mês Missionário Extraordinário

O Seminário São José da Arquidiocese de Mariana acolheu, entre os dias 22 a 24, a Formação Missionária de Seminaristas (FORMISE) da Província Eclesiástica de Mariana. O encontro contou com a presença de vários seminaristas das dioceses que compõem a Província: Caratinga, Itabira/Coronel Fabriciano, Governador Valadares e Mariana.

À luz do tema proposto para o Mês Missionário Extraordinário (outubro de 2019), convocado pelo Papa Francisco em comemoração ao centenário da Carta Apostólica Maximum Illud, do Papa Bento XV, a formação dos seminaristas abordou a temática “Batizados e enviados: a Igreja de Cristo em missão no mundo”.

Sob a assessoria do padre Luiz Antônio Reis, pároco da paróquia de São Gonçalo do Amarante, em Catas Altas da Noruega, tendo como referencial teórico a Carta Apostólica de Bento XV, o encontro foi um aprofundamento na reflexão sobre a missão e uma partilha de experiências entre os seminaristas das dioceses presentes.

A partir da leitura histórica do desenvolvimento da atividade missionária no Cristianismo, ao longo do encontro, padre Luiz Antônio abordou aspectos centrais da Carta de Bento XV, de 30 de novembro de 1919, sobre a atividade desenvolvida pelos missionários no mundo. Aos presentes, ficou claro que a referida carta tem por objetivo entusiasmar e indicar meios de contribuição para a santa causa das missões envolvendo a todos: bispos, superiores religiosos, clero e povo fiel.

Na visão do seminarista Carlos Geovane, a carta também faz o “apelo para que os missionários tenham real estima pela vocação missionária, compreendendo a tarefa missionária como divina (primazia de Deus na ação missionária) e acima de quaisquer mesquinhos interesses humanos; o que serve de exortação para que o missionário católico seja um emissário da pátria de Cristo, e não de sua própria pátria”.

Partilha
Durante a formação, o Conselho Missionário de Seminaristas (COMISE) de cada Diocese pôde expor sua caminhada atual, apresentando um pouco do que foi promovido na dimensão eclesial, como semanas de animação missionária, momentos formativos e orações.

Padre João Paulo da Silva partilhou sua experiência missionária durante a vida de seminário e já como ministro ordenado, com ênfase no seu tempo em Rondônia. Iva Fernandes expôs sua vida missionária somada aos trabalhos que coordena na Infância e Adolescência Missionária. E o seminarista Willian Paulino, da Diocese de Itabira/Coronel Fabriciano, deu testemunho sobre a sua experiência junto a Ilha do Marajó, no Maranhão.

Avaliação
Para o seminarista Ihudison Coelho, do 1° ano de Filosofia, o FORMISE foi uma experiência ímpar. “Além da convivência com os seminaristas de nossa Província Eclesiástica, pude, a partir das reflexões do padre Luiz Antônio, renovar o ardor missionário em meu coração, de modo a perceber a importância da missão para a Igreja a partir da “MaximumIllud” de Bento XV, e o quanto ela se faz necessária para o vigor de nossas comunidades de fé.”, relata.

O seminarista da Diocese de Itabira-Coronel Fabriciano, Willian Moreira, do 2° ano de Teologia, considera necessário despertar no coração dos seminaristas o valor que a missão tem na vida da Igreja e vê no FORMISE a saída para prepará-los, desde já, para a missão de sair de si próprio e ir ao encontro dos irmãos. “O FORMISE é este lugar onde os seminaristas têm a oportunidade de partilhar as experiências missionárias que desenvolvem nos seus seminários e dioceses, fortalecendo assim o processo vocacional pessoal estreitando, ainda mais, os laços que nos unem enquanto província eclesiástica de Mariana”, explica.

comment Ainda não há comentários.

Você pode ser o primeiro a deixar um comentário.

mode_editDeixe uma resposta

Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person. Required fields marked as *

menu
menu