Padre missionário de Limeira (SP) no Alto do Solimões

Padre missionário de Limeira (SP) no Alto do Solimões

Existe o desprendimento, nada de luxo e por opção de quem quer estar com o seu povo como um pastor, o missionário dorme em redes, toma banho nos rios e se serve do alimento oferecido.

de Carolina Penatti *

Desde 2012, a diocese de Limeira (SP) tem um padre em missão no Alto do Solimões, no Estado do Amazonas. Padre Isaías Daniel está exercendo o sacerdócio na cidade de São Paulo de Olivença, na paróquia São Paulo Apóstolo por meio do Projeto Missionário Sul 1 – Norte 1 da Conferência DSC_0472Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Entre seus trabalhos estão as visitas às comunidades ribeirinhas indígenas e a animação vocacional. Eu estive na Região no mês de fevereiro, deste ano.

Para quem é de fora e passa alguns dias acompanhando como leiga o trabalho de evangelização realizado pelo padre, percebe que foi preciso adaptação e que, no seu caso, não pareceu tão difícil, e o mais importante, está feliz.

Inicialmente atuou como vigário da paróquia Santos Anjos em Tabatinga, sede da diocese do Alto do Solimões, por dois anos, a pedido do hoje bispo emérito, dom Alcimar, e criou o Serviço Diocesano de Animação Vocacional. Conheceu a realidade local por meio de visitas às paróquias e, na sequência, foi para São Paulo de Olivença, onde divide o trabalho com o padre Marcelo Gualberto Monteiro, missionário da diocese de Uruaçu (GO).

“Filho de Deus” é uma das suas frases mais repetidas e chama atenção o seu amor pela missão na Região Norte do Brasil. As viagens em barcos simples para as missas, celebrações e momentos de oração são longas, mas de grande beleza pelas paisagens no caminho dos rios, comDSC_0545o o Solimões e o Jacurapará. Tem ainda as maravilhas da floresta amazônica.

Existe o desprendimento, nada de luxo e por opção de quem quer estar com o seu povo como um pastor, o missionário dorme em redes, toma banho nos rios e se serve do alimento oferecido. Ele não chega na comunidade, depois de horas de viagem, para fazer uma oração e partir. Não, ele conversa, vai às casas, pergunta como os seus moradores estão e oferece ajuda até braçal, como na roça da mandioca.

Padre Isaías ainda não aprendeu a língua ticuna, que é a da maioria do povo indígena da Região, mas pede para um leigo da comunidade, geralmente um catequistas traduzir, assim, as novas gerações DSC_0455também são evangelizadas. Já os cantos da missa são na língua ticuna, um trabalho de preservar a cultura.

Na parte vocacional, o missionário é responsável pelo Centro Vocacional “Rainha dos Apóstolos”, realizando o trabalho com os jovens seminaristas, que normalmente passam um ano no local para depois seguirem estudos em Manaus.

No mês de março, o trabalho de animador vocacional incluiu a Semana Vocacional na cidade de Amaturá e as visitas às comunidades prosseguem. A missão de padre Isaías no Alto do Solimões termina no início do ano que vem e quem conviveu com ele sentirá falta do seu jeito pastoreio.

* Pascom da diocese de Piracicaba (SP).

comment Ainda não há comentários.

Você pode ser o primeiro a deixar um comentário.

mode_editDeixe uma resposta

Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person. Required fields marked as *

menu
menu