Missionários da Consolata na América definem opções

Missionários da Consolata na América definem opções

A Assembleia reafirmou como opções: os povos indígenas, pastoral Afro, periferias urbanas e existenciais, migrantes e refugiados, Amazônia e juventudes.

de Jaime C. Patias e Júlio Caldeiras

Definir um Projeto Continental para os missionários da Consolata na América. Este é o objetivo da Assembleia Continental Pré-capitular do Instituto Missões Consolata (IMC) que acontece ao longo desta semana, dias 8 a 14, em Bogotá na Colômbia.

O documento final do encontro será a contribuição dos missionários que atuam na Argentina, Brasil, Colômbia, Equador, Peru, Venezuela, México, Canada e Estados Unidos, para compor o instrumento de trabalho do XIII Capítulo Geral, a ser realizado em Roma ainda no primeiro semestre deste ano.

DSC_0305Conduzidos pelos moderadores, o padre Leonel Narváez Gómez e a engenheira Diana Sosa, especialistas em metodologia, os principais esforços dos 23 participantes no encontro, nos últimos dias, se concentraram na escolha das opções e serviços que os missionários desejam assumir nas seis regiões da América. Seguindo o documento de estudo preparado por uma Comissão especial, a Assembleia reafirmou como opções: os povos indígenas, pastoral Afro, periferias urbanas e existenciais, migrantes e refugiados, Amazônia e juventudes. Ao fazer uma opção pelos jovens, os missionários reafirmam que eles são um sujeito ad gentes e ao mesmo tempo, uma riqueza para a Igreja e o Instituto que precisam de sua vitalidade para a missão. Foram escolhidos também como prioritário, os serviços da Animação Missionária Vocacional, comunicação e formação. Além disso, um bom tempo foi dedicado à reflexão sobre uma economia para a missão e seus desafios.

“Queremos dar especial atenção aos novos rostos da missão e ir ao encontro das periferias existenciais”, explica o padre queniano Venanzio Mwangi, coordenador do Secretariado Pastoral Afroamericana e caribenha (SEPAC/CELAM). “Que o Espírito Santo continue a nos iluminar para ouvir, interpretar e estar atentos aos gritos de cada um desses rostos”, conclui o padre.

Com a finalidade de produzir um texto mais conciso, com propostas operativas e metas para cada uma das opções e serviços, foram realizados vários trabalhos em grupos. Ao mesmo tempo, em mutirão, foram esclarecidos alguns conceitos chaves.

DSC_0440O Superior Geral, padre Stefano Camerlengo, e três conselheiros também estão presentes na reunião. “Estou feliz porque o clima é muito sereno e familiar, também com os leigos. O empenho de cada um é muito bom, estão convencidos e trabalham com responsabilidade”, avalia. O padre Geral sublinha que “o documento é muito rico e a metodologia é particular por que trabalha não somente as palavras chaves, mas os valores e a finalidade”. Padre Stefano complementa: “estamos fazendo um bom caminho desejosos de pensar algo novo para o Continente e para todo o Instituto. Estou otimista, mas um pouco preocupado em harmonizar o Instituto em geral. Este será o trabalho final, em preparação ao Capítulo Geral”.

Na opinião do responsável pela Região IMC da Aregentina, padre Maurício Guevara, com relação à programação “estamos no caminho certo”. O missionário destaca o trabalho realizado pela comissão especial que se reuniu em Buenos Aires para redigir o documento de estudo, texto revisado pelos superiores. “O trabalho desta Assembleia é propor linhas operativas e enriquecer os pontos mais fracos como a organização e a economia. Vejo que estamos seguinto a metodologia proposta”, reforça padre Maurício.

DSC_0064Os Leigos Missionários da Consolata (LMC) reunidos nestes dias em Bogotá, apresentaram sua visão e missão no Continente, documento que será integrado ao texto final da Assembleia. Um grupo de Irmãs missionárias da Consolata que trabalha com os povos indígenas e coordenam as circunscrições da Argentina e Bolívia, também marcou presença saudando a Assembleia.

Todos os dias, pela manhã, as reflexões são iluminadas com a Leitura Orante da Palavra sobre textos relacionados com a Igreja de Antioquia descrita nos Atos dos Apóstolos e cartas de Paulo. O exercício é orientado pelo biblista César Augusto Baratto Abelo, que faz uma leitura popular da Bíblia. A dinâmica tem por finalidade inspirar propostas concretas para os desafios da missão hoje.

Participam da Assembleia 23 missionários sendo seis superiores provinciais e 17 delegados ao Capítulo Geral além da Direção Geral. O evento que acontece na casa regional da congregação em Bogotá, conta com dois moderadores, dois secretários e uma equipe de comunicação.

Leia também: Missionários da Consolata realizam Assembleia Continental

comment Ainda não há comentários.

Você pode ser o primeiro a deixar um comentário.

mode_editDeixe uma resposta

Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person. Required fields marked as *

menu
menu