Idosos e Enfermos Missionários

É uma atividade, um serviço concretamente missionário que a Igreja oferece por meio da Obra da Propagação da Fé, aos anciãos, enfermos e todas as pessoas portadoras de limitações físicas, com a finalidade de animá-los, despertá-los, formá-los e acompanhá-los para que, a partir de sua situação particular, possam exercer sua vocação missionária, cooperando desta maneira com toda a Igreja.

Os grupos dos idosos e enfermos missionários reúne todos os que vivem a dor, o sofrimento e as limitações estabelecendo assim, laços fraternos entre todos eles. A partir desta vivencia especial podem exercer especificadamente e particularmente a missão de acompanhar e demonstrar com sua própria vida a mensagem do Evangelho.

Os missionários enfermos e idosos guiados pelos agentes de animação, unidos em oração e obras, levam para frente as diversas ações propostas pelas equipes diocesanas, estaduais, regionais e nacional, as quais competem a tarefa de organizar o trabalho específico dos grupos.

Assim, a organização desta atividade missionária compreende duas dimensões: os enfermos e idosos, que são os protagonistas e os agentes animadores, que são os encarregados do acompanhamento e do apoio permanente aos enfermos e idosos dos grupos locais.

Os protagonistas da missão

Os enfermos e idosos missionários que compõem esta atividade da Obra podem ser leigos, leigas, religiosos e religiosas e presbíteros. Recordando sempre que os enfermos e idosos são os primeiros a exercer a atividade missionária. Oferecem sua oração, seu tempo e seu esforço pela missão evangelizadora; levam a mensagem de Cristo e dão testemunho com suas próprias vidas.

Nesta entrega generosa, cada pessoa, nas circunstâncias mais particulares que atravessam, vão experimentando com alegria cristã sua realidade e sua dignidade, e ao mesmo tempo, exerce sua missão a partir da dor e do sofrimento, porém, iluminados pela fé. Vão, desta maneira, imprimindo à sua existência um sentido tão profundo como esperançoso.

Assim, o enfermo e o idoso no mais profundo do seu coração vão descobrindo na dor e no sofrimento, com a ajuda reflexiva e sempre presente dos animadores, a proximidade do amor misericordioso de Deus, e sua própria identidade em Jesus e na força do Espírito Santo que os assistem, sustentam e os santificam, à maneira de Cristo redentor.

Como nasceu esta atividade

Os grupos dos enfermos e idosos missionários surgiu por iniciativa de Margarita Godet. Nasceu em 23 de abril de 1899 em Mesnard la Barotière, França. Era a terceira filha de uma família de camponeses muito cristãos e, na idade de 10 anos teve seu primeiro ataque de paralisia. Mas apesar de sua enfermidade não deixou de ser uma jovem inquieta na busca de dar sentido a sua vida e entendia que sua situação não escapava ao amor de Deus. Em 1922, em uma peregrinação a Lourdes, Margarita teve uma revelação: recebeu de Deus o dom de valorizar o sofrimento humano, de dar sentido, como meio efetivo para a salvação do mundo. “Eu entendi a beleza e a fecundidade do sacrifício” disse ela, e seguindo Santa Terezinha do Menino Jesus se decidiu a ajudar aos sacerdotes, aos missionários e a toda a Igreja.

Uma amiga a animou para que se oferecesse ela mesma como enferma missionária. Margarita aceitou. Teve o valor de viver sua enfermidade de maneira real e em primeira pessoa e aprendeu a amar e a ajudar os outros sem lamentar-se. Como apostolado, intuiu o sentido mais profundo da oração e ofereceu o sacrifício de sua própria vida pelos demais. Esta foi a resposta que ela deu a Deus, porém não ficou aí, ao contrário, foi além. Convidou a outros a viver a realidade da enfermidade como um verdadeiro serviço missionário. Assim, de forma simples, silenciosa, humilde e fecunda nasceu em 1928 a atividade dos enfermos missionários na França, cujo primeiro diretor foi o Mons. Guébriant, que neste momento era o superior do seminário das missões estrangeiras de Paris.

No final de sua vida, Margarita já não falava de sua enfermidade nem de sua dor, vivia para consolar aos demais. Sorria, transmitia a alegria de sua mudança interior, fruto do deixar-se transformar por Deus e aos 33 anos, em 2 de novembro de 1932 morre de tuberculose.

Objetivos

Todas as pessoas que compõem os grupos dos enfermos e idosos missionários seguem a tarefa específica de levarem adiante a vocação missionária da ajuda. E assim, por meio deste serviço, podem anunciar o evangelho de acordo com a situação particular que cada uma delas lhe toca viver. Deste modo, tanto enfermos e idosos como os animadores, todos unidos, realizam a tarefa missionária de acordo com a vivência de sua vocação particular.

Dia a dia, cada enfermo e cada idoso experimentam uma realidade específica e íntima ligada à sua própria situação. Entretanto, a proposta de ser missionário, vivendo em união e oração com os outros irmãos que estão em uma situação semelhante, os levam a mudar o modo de viver sua própria realidade e os permitem exercer a missão a partir de sua própria enfermidade e limitação.
Muitos são os objetivos que se pode buscar neste serviço, porém nesta perspectiva, apresentamos aqueles que acreditamos que traduzem a essência da atividade e que são próprios dos animadores:

➢ Animar missionariamente a quem estão enfermos, são idosos ou apresentam limitações físicas, para que ofereçam suas orações e sofrimentos pelas intenções particulares e gerais da igreja;

➢ Ajudar espiritualmente aos enfermos e idosos para que vivam uma dimensão redentora de sua dor, de modo que uma vez aceitado possam ser assumidos e oferecidos pelas necessidades dos irmãos e irmãs;

➢ Convidar o enfermo e o idoso a serem missionários e não só receptores passivos daqueles que os visitam. Cada idoso e cada enfermo se transformam deste modo em protagonistas do serviço missionário;

➢ Apoiar a formação de novos grupos em cada paróquia e diocese para difundir e assistir aos enfermos e idosos por meio deste modo particular de missão;

➢ Estar em comunhão com os demais grupos e movimentos paroquiais, especialmente as pastorais da saúde, da pessoa idosa, os ministros extraordinários da comunhão e todos aqueles que por sua vocação se aproximam dos enfermos e idosos;

➢ Colaborar ativamente com todos os que integram a atividade, tanto a nível paroquial, diocesano, estadual, regional e nacional, afim de crescer e nutrir a fé e manifestar deste modo, junto ao trabalho ativo e por meio das diferentes tarefas que se realizam, a alegria que caracteriza todos os missionários, que vivem imitando Jesus e sendo fieis aos ensinamentos da igreja;

➢ Formar-se permanentemente não só na fé, mas também, nos temas específicos deste serviço cujos destinatários são os enfermos e idosos considerando as exigências do mundo e da sociedade atual, afim de dar respostas certas que nos aproximem cada vez mais de Deus e nos façam cresce como melhores pessoas;

➢ Estar em comunhão dentro de cada grupo local junto às equipes diocesanas, estaduais, regionais e nacional, afim de contribuir, crescer e inovar cada vez mais as atividades propostas pela Obra. Participando das reuniões, atividades e encontros que são espaços de vivencia da fraternidade e de dirimir dúvidas.

menu
menu