IAM celebra sua 8ª Jornada Nacional com missa transmitida pela TV

IAM celebra sua 8ª Jornada Nacional com missa transmitida pela TV

Neste domingo, 20 de setembro, os grupos da Infância e Adolescência Missionária (IAM) acompanharam através da Rede Vida de Televisão e redes sociais a missa da 8ª Jornada Nacional da IAM. Presidida por Pe. Maurício Jardim, diretor das POM no Brasil, a missa foi realizada direto da sede das POM em Brasília, sendo um momento importante da caminhada da IAM. Ir. Patrícia Souza, secretária nacional da Obra, conduziu a oração de consagração e convidou as crianças e suas famílias a acompanharem de suas casas.

14Durante a homilia, Pe. Maurício Jardim lembrou que na Infância e Adolescência Missionária a consagração é uma forma das crianças e adolescentes assumirem pública e solenemente a decisão de serem missionários. “Neste dia especial de renovar nossa consagração batismal e nossa adesão a Cristo, queremos estar em comunhão com o Papa Francisco, com toda a Igreja e com todas as Crianças e adolescentes dos cinco continentes” destacou o diretor.

Acompanhe a homilia da celebração da 8º Jornada Nacional da IAM:

“Saúdo todos e todas que celebram aqui conosco na capela das Pontifícias Obras Missionárias a 8ª Jornada Nacional da Infância e Adolescência Missionária. De modo particular saúdo a Ir. Patrícia Sousa, secretária Nacional da IAM, o Pe. Badacer Neto, secretário Nacional da Pontifícia Obra da Propagação da Fé, tendo atividades com a Juventude Missionária, as Famílias Missionárias e os Idosos e Enfermos Missionários; o Pe. Antônio Niemiec que nos acompanha pelos canais da Rede Vida, secretário da Pontifícia União Missionária que atua na formação missionária do clero, dos seminaristas e todo povo de Deus. Saúdo a Ir. Maria Inês, presidente da Conferência dos religiosos do Brasil (CRB), aqui presente e também a todos os colaboradores das POM. Essa saudação é de forma especial para todas as crianças e adolescentes, assessoras(es) da IAM que em família, na Igreja doméstica, celebram conosco, neste domingo, Dia do Senhor.

Esta Jornada da IAM, pensada e preparada para o mês de maio, junto com tantas atividades promovidas pelas POM, necessitou ser repensada em sua data e em seu formato, pois todos e todas fomos surpreendidos pela pandemia que mudou nossas agendas e rotinas. Como bem nos disse o Cardeal Tagle, prefeito da Congregação para Evangelização dos Povos: “Na pandemia muitas portas foram fechadas, no entanto janelas foram abertas”. Nas janelas que se abriram, o Espírito Santo, protagonista da missão, intensificou ainda mais sua ação no mundo e em nossos corações.

Em tempos de isolamento social, o papa Francisco nos convida a interpretar o que Deus está nos dizendo: “A impossibilidade de nos reunirmos como Igreja para celebrar a Eucaristia nos fez compartilhar a condição de muitas comunidades cristãs que não podem celebrar a Missa todos os domingos”. Sou testemunha desta realidade nos anos em que vivi a missão em Moçambique. Lá, as comunidades têm missa uma vez ao ano, semelhante à realidade de muitas comunidades aqui no Brasil, no território Amazônico.

Continua o Papa Francisco na mensagem para o Dia Mundial das Missões: “Esta crise é um sinal de alarme para refletir sobre onde se apoiam as raízes mais profundas que nos sustentam na tempestade. Lembra que esquecemos e ignoramos algumas coisas importantes da vida e nos faz refletir sobre o que é realmente importante e necessário e o que é menos importante, ou seja, a aparência. É um momento de provação e escolha para que possamos dirigir nossas vidas a Deus, que é nosso apoio e nossa meta, de uma maneira renovada. Esta crise nos mostrou que, precisamente em situações de emergência, dependemos da solidariedade dos outros… Ela deve nos fazer agir contra a injustiça global para que possamos despertar e ouvir o grito dos pobres e do nosso planeta tão gravemente doente”.

É neste mundo marcado por uma crise sanitária, ética, sócio ambiental, econômica e política que somos chamados e chamadas a testemunhar a vida em missão. A missão que nasce do encontro com Jesus Cristo, não se reduz a atividades ou a uma dimensão. Somos missionários(as) vinte e quatro horas no dia: quando estamos em casa com a família, na escola, com os amigos, no lazer e em todos os momentos da vida cotidiana. A missão não é um enfeite ou uma moda que passa. Recebemos de graça o amor de Deus e o comunicamos às pessoas. Esta comunicação se dá não tanto por palavras, mas sobretudo pelo testemunho.

Há três formas de cooperarmos com a missão de Deus. A oração, a oferta e a vida missionária. Ou como se expressou o Papa Leão XIII: “a missão se faz com os joelhos que rezam, as mãos que partilham e os pés que partem”. São três atitudes de nosso ser missionário que se orientam e se abrem à universalidade. Jesus nos envia a todos os povos. As crianças e adolescentes da Infância e Adolescência Missionária assumem este compromisso de vida, através de uma Ave-Maria por dia e uma moedinha por mês. Toda coleta do cofrinho missionário realizado pelos grupos da IAM no Brasil será enviada às crianças e adolescentes do continente asiático.

A Palavra de Deus hoje, nos recorda que os pensamentos e caminhos de Deus são diferentes dos nossos pensamentos e caminhos. Deus nos convida a entrar na sua lógica que é sempre superior à nossa. O amor de Deus é transbordante. Ele sempre se excede em compaixão, serviço, solidariedade e cuidado com os mais vulneráveis. É uma lógica que não tem cálculos, nem medidas. No coração missionário não há lugar para violência, guerra, discriminação, ódio, preguiça e medos. As crianças e adolescentes da IAM nos ensinam a leveza deste amor transbordante. O Evangelho fala dessa bondade do amor de Deus que nos chama a viver a missão em diferentes momentos da nossa história. Algumas pessoas foram chamadas na primeira hora e outras, porque ninguém as chamou ou as enviou, são chamadas na última hora da vida. No entanto, a recompensa generosa de Deus é abundante e igual para todos nós. Assim acontece no caminho missionário de São Paulo que resumiu sua fé no encontro com Cristo: “Para mim viver é Cristo e o morrer é lucro”.

Na Infância e Adolescência Missionária a consagração é uma forma das crianças e adolescentes assumirem pública e solenemente a decisão de serem missionários/as, ou seja, de viverem o batismo. Neste dia especial de renovar nossa consagração batismal e nossa adesão a Cristo, queremos estar em comunhão com o Papa Francisco, com toda a Igreja e com todas as crianças e adolescentes dos cinco continentes.
Concluo com as palavras do Papa Francisco na mensagem para o Dia Mundial da Missões: “Deus continua a procurar a quem enviar ao mundo e aos povos para testemunhar seu amor, sua salvação, sua libertação do mal (cf. Mt 9,35-38; Lc 10,1-11)”. Hoje, Ele nos pergunta: ‘Quem enviarei?’ – e aguarda, de nós, uma resposta generosa e convicta: ‘Eis-me aqui, envia-me’ (Is 6, 8).”

Pe . Maurício da Silva Jardim
Diretor das POM

comment Ainda não há comentários.

Você pode ser o primeiro a deixar um comentário.

mode_editDeixe uma resposta

Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person. Required fields marked as *

menu
menu