Dom Peruzzo fala sobre iniciação à vida cristã e missão

Dom Peruzzo fala sobre iniciação à vida cristã e missão

Primeiro conferencista do Congresso Missionário aborda temática missionária relacionando com seu testemunho pessoal.

Missionário desde que era seminarista, Dom José Antônio Peruzzo (arcebispo metropolitano de Curitiba) abriu as conferências do 3º Congresso Missionário Nacional de Seminaristas nesta quinta-feira (11). Sob o tema Iniciação à vida cristã e missão, o arcebispo mesclou, em sua fala, as experiências missionárias pelas quais passou e as indicações do Magistério da Igreja acerca da formação dos futuros presbíteros: “não é possível falar de vocação, excluindo missão”, ressaltou.

DSC_0946Dom Peruzzo sublinhou, ainda, que quando se vai para a missão, as ideias de força fascinadora se transformam em questionamentos sérios. Trata-se de um seminarista em processo de formação tendo que apontar possíveis soluções para todos os problemas do mundo. Segundo o conferencista, o mais forte não são as dores físicas, mas as feridas de pessoas deixadas de lado, sem autoestima – machucadas existencialmente. “Na missão no leprosário descobri como eu era preconceituoso. Enquanto os outros tinham hanseníase, tudo bem, eu os ajudava. Mas quando eu tive essa doença, precisei refazer todas as sínteses anteriores. Pois, para compreender a dor do outro, é preciso conhecer essa dor”, partilhou.

DSC_0975No que diz respeito à iniciação à vida cristã, o arcebispo de Curitiba destacou que o fator missionário não se soma ao ser padre, mas é um com o chamado vocacional. Quando se deixa para trás os tesouros pessoais, aí começa a iniciação ao discipulado. “É preciso fazer uma avaliação de o que estamos deixando para trás, pois não existe, nas Sagradas Escrituras, uma experiência vocacional de alguém que não tenha deixado algo para trás. E isso é um processo. Se quer saber a autenticidade de sua vocação, pergunte-se pela capacidade de despojar-se. Não missionar é golpear a identidade do discípulo. Por isso, vocação e missão andam juntas – se faltar uma, caem as duas”.

Por fim, reiterou sua fala lembrando que antes de ser apóstolo é necessário ser discípulo. As etapas formativas não são apenas para estudar filosofia e teologia, mas para fazer um caminho e tornar-se apóstolo e sair de si. Portanto, iniciar-se na vida cristã é iniciar-se na arte de ser missionário.

Texto: Darlan Schwaab e fotos: Patryck Madeira (equipe de comunicação do 3CMNS)

 

comment Ainda não há comentários.

Você pode ser o primeiro a deixar um comentário.

mode_editDeixe uma resposta

Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person. Required fields marked as *

menu
menu