Curso prepara missionários para a missão além-fronteiras

Curso prepara missionários para a missão além-fronteiras

A formação reúne 21 missionários e missionárias, entre padres, religiosas e religiosos, seminaristas, diácono, leigos e leigas

O Centro Cultural Missionário (CCM) de Brasília (DF), acolhe desde o dia 30 de julho, o Curso Ad Gentes 2017 para missionários e missionárias, enviados do Brasil além-fronteiras. Participam 21 cursistas entre padres, religiosas e religiosos, seminaristas, diácono, leigos e leigas de diversas partes do Brasil e até do exterior. O curso que se estende até o dia 26 de agosto, contempla nove dimensões: humano-afetiva, bíblica, histórica, socioambiental, geográfica, antropológica, teológica, espiritual e os idiomas de: Francês, Espanhol e Inglês. Além de aulas teóricas, a programação incluiu partilhas, testemunhos e celebrações.

DSC_0042

Promovido todos os anos pelo CCM, em parceria com a Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB) e a Comissão Episcopal para Ação Missionária e Cooperação Intereclesial da CNBB, o estudo visa oferecer uma formação específica a missionárias e missionários enviados ao exterior. Este ano os participantes do curso estão sendo enviados para Angola, Moçambique, Guiné-Bissau, Quênia, Bolívia, Haiti, Estados Unidos, Equador e Amazônia brasileira.

Padre Adriano Ferreira Rodrigues, do clero da diocese de Jundiaí (SP) vai para Pemba em Moçambique, enviado pelo Regional Sul 1 da CNBB (estado de São Paulo). “É uma experiência bastante diferente daquela que tenho em minha diocese, e isso ajuda a expandir meus horizontes no ministério. São posturas e leituras muitas vezes chocantes, mas necessárias para que possamos realmente conviver com culturas tão diferentes onde somos enviados a viver e anunciar o Reino de Deus. O trabalho dos assessores e a partilha com o grupo se completam enriquecendo o curso”, relata o padre.

“Uns plantam outros colhem, mas é Deus que faz crescer”, afirma Mariana Baião dos Santos, missionária leiga da paroquia Santo Antônio de Pádua na diocese de Jacarezinho (PR). “Está sendo um momento de crescimento, onde posso partilhar e adquirir experiências de realidades diversas. O curso traz motivações para faDSC_0004zer de nossa vida testemunhos autênticos, sobretudo assumir a missão com amor e fé. Está sendo um tempo de preparação realçando o desejo de ir além-fronteiras sempre tendo a consciência de que o melhor lugar do mundo é onde Deus me quer”.

A irmã Alice Namenge Kanuty, beneditina da Divina Providência, é natural do Quênia e trabalha na Guiné-Bissau. Decidiu fazer o curso para refletir sobre atitudes essenciais para a missão na “casa do outro”. Ela reforça a ideia de que “o melhor lugar no mundo é onde Deus precisa dela. A missão não me pertence, mas pertence a Deus e eu sou apenas uma serva. Assim eu dependo dele como o centro da minha vida e de tudo o que me cerca”. Segundo a religiosa africana, algumas atitudes importantes são: “estar abertos para aprender, viver, amar e trabalhar com o povo sem medo de mudar”. Ela destaca ainda a importância de “contemplar, discernir, ouvir, comunicar, respeitar, perdoar e ser testemunha de Deus”.

A leiga missionária Helena Pereira, da diocese de Guarulhos ainda não tem destino certo. Ela espera ser enviada para Amazônia ou para Moçambique. “O curso está sendo um momento de forte aprendizado com conteúdos excelentes. Há uma boa integração no grupo, o que está contribuindo para criar laços de amizade. Isso irá me ajudar a ter clareza no discernimento. Agradeço a Deus pelos momentos que estou vivendo nesta bela experiência”, complementa Helena.

Irmã Mônica Maria Costa Conceição, religiosa missionária de Nossa Senhora das Dores, está destinada à Bolívia. “Tenho a alegria de participar deste curso. Gostaria de destacar o tema da Teológica da Missão. Vimos que a Missão é a essência da Igreja, pela qual, ela se renova como Sacramento Universal de Salvação. Por isso somos DSC_0021conduzidos por ela a outros povos e nações. Estou mais consciente da importância deste curso para nossa vida missionária e ao partir para Vila Montes na Bolívia, no próximo ano, levarei comigo estas orientações para a convivência com outros povos, com a convicção de que o Espírito Santo me ajudará a pisar com cuidado, respeito e carinho na nova terra, amando e aprendendo a caminhar com eles”.

Para o secretário executivo do CCM, padre Jaime Gusberti, a formação representa um momento único na vida dos missionários e missionárias. “É um tempo especial porque oferece, na simplicidade, elementos essenciais para que os enviados preparem seus corações para silenciar, acolher, escutar e perceber as sementes do verbo que já estão na missão. As reflexões e partilhas ajudam a descer dos projetos para os gestos, isto é, ser Samaritano ao lado do caído, excluído e abandono”. Padre Gusberti recorda de uma frase celebre de Guimarães Rosa: “A terra não se alimenta de tempestades, mas de chuva fina”. E compara: “o curso é como a chuva fina que encharca a pessoa tornando-a apta a ir e fazer outros discípulos missionários. “Ir em missão é antes de tudo sair de si, quebrar a crosta do egoísmo, testemunhar, cultivar um estilo de vida segundo a vontade de Deus e acima de tudo colocar-se a serviço, como Jesus Cristo fez”.

Confira aqui todos os cursos oferecidos pelo CCM em Brasília (DF).

Deixe uma resposta comment1 Comentário
  1. agosto 24, 06:07 Antonia Teodoro Santos

    a voz de Deus grita dentro de muitos! Porém poucos são suficientemente grandes e humildes ao mesmo tempo, para além de ouvi-la , obedecela ! Que esta chuva fina nunca cesse dentre de vossos corações pois é certo que farão a diferença por onde Deus os levar! Que ele esteja sempre a frente de todos … Em especial do Sr, Padre Adriano! Vamos sentir sua falta mas sabendo que estaremos todos unidos na mesma oração . Que tudo aconteça como ELE deseja. Abraços a todos .

    reply Reply this comment
mode_editDeixe uma resposta

Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person. Required fields marked as *

menu
menu