40 anos de missão

40 anos de missão

* Por Pe. Maurício da Silva Jardim

O Papa Francisco, em junho de 2018, gravou um vídeo para a Assembleia Internacional das POM em Roma, onde destaca: “As POM é uma realidade importante para a missão da Igreja, mas pouco conhecida”. De fato, ainda hoje, em nossas visitas e formações missionárias nas Arquidioceses e Dioceses do Brasil, encontramos essa realidade. As Obras Pontifícias são pouco conhecidas e até confundidas como congregação religiosa ou comissão da CNBB. Contudo, a história das Pontifícias Obras Missionárias vem de longa data. Festejamos, em 2016, o centenário da Pontifícia União Missionária; neste ano os 175 anos da IAM; em 2022, iremos celebrar os duzentos anos de fundação da Obra Propagação da Fé e os cem anos que o papa Pio XI as elevou à natureza Pontifícia e Universal.

As POM são organismos oficiais da Igreja católica que trabalham para intensificar a animação, a formação e a cooperação missionária em todo o mundo. Os elementos comuns às quatro obras são a mística missionária e seu caráter pontifício. A mística que as identifica tem um tripé: oração, sacrifício e ofertas. Ou seja, a primeira obra é rezar pelas missões, pois o protagonista é o Espírito Santo, a segunda é a oferta existencial da própria vida e a terceira é a partilha econômica para a missão universal. O caráter pontifício significa que são obras do papa para toda a Igreja. Elas se desenvolvem com o apoio da Santa Sé que, ao fazê-las próprias, concede-lhes caráter universal.

Duas palavras resumem a identidade das POM, para além de seus elementos comuns: A Universalidade – todas as obras para todos os povos; e Pontifícias – são obras do papa para toda a igreja. Conforme documento Cooperatio Missionalis da Congregação para Evangelização dos Povos, as POM “têm o objetivo de promover o espírito missionário universal no seio do povo de Deus” (CM,5). Têm a vocação de manter vivo e circulante, nas comunidades eclesiais, pastorais e movimentos, o espírito de solidariedade e de universalismo missionário.

No Brasil, as Pontifícias Obras Missionárias foram criadas como personalidade jurídica em 20 de novembro de 1978, na cidade de São Paulo, por iniciativa dos superiores provinciais das congregações: Missionários da Consolata, Missionários Combonianos, Missionários do Verbo Divino, Missionários Xaverianos, Missionárias da Imaculada e PIME (Pontifício Instituto das Missões ao Exterior). Foi inicialmente registrada como sociedade civil sem fins lucrativos, posteriormente alterada para associação e, em 2017, passou a ser reconhecida com natureza jurídica de organização religiosa. Contudo, antes do seu caráter jurídico, as Pontifícias Obras Missionárias, em âmbito nacional, já contavam com secretários nacionais da Pontifícia Obra da Propagação da Fé e da Infância e Adolescência Missionária.

Entre tantas atividades, destaca-se a importância de organizar, produzir e motivar a Campanha Missionária da Igreja do Brasil. As POM realizam essa importante atividade em comunhão com o COMINA (Conselho Missionário Nacional). O material produzido (novena, DVD com testemunhos missionários, cartaz, oração missionária e envelope) é enviado para todas as Arquidioceses, dioceses e prelazias do país, fortalecendo a proposta de nosso Papa Francisco que nos pede uma Igreja em saída. A colaboração no Dia Mundial das Missões (penúltimo final de semana de outubro) tem como finalidade a Evangelização, Animação e Cooperação Missionária. Dessa coleta, 80% são destinados a auxiliar atualmente 1.050 dioceses pobres nos “territórios de missão” e diversos projetos na África, Ásia, Oceania e América Latina. Os outros 20% restantes são para a ação missionária no Brasil.

A comunhão das POM com a Igreja do Brasil acontece por meio da Comissão Episcopal Pastoral para Animação Missionária e Cooperação intereclesial e Comissão Episcopal para a Amazônia. Além das comissões, a comunhão acontece com os Organismos eclesiais: Conselho Missionário Indigenista (CIMI), Centro Cultural Missionário (CCM) e Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB). Na prática, a comunhão realiza-se pela participação na equipe executiva e assembleias do conselho missionário nacional (COMINA) e nos conselhos missionários em âmbito regional (COMIRE), diocese (COMIDI) e paróquia (COMIPA).

Somados esses anos todos, somos gratos a tantos colaboradores e colaboradoras que contribuíram para a formação dessa história. São secretários (as) nacionais das Obras Pontifícias, equipe de colaboradores (as) e instituições que compõem o Conselho Nacional das POM. Por intercessão de São Francisco Xavier e Santa Terezinha do menino Jesus, padroeiros da missão, Deus abençoe a todos e nos dê força e perseverança na missão. Gratidão a todos e todas que colaboraram e colaboram com as Pontifícias Obras Missionárias nos seus 40 anos de criação.

Diretores das Pontifícias Obras Missionárias:
Pe. Gaetano Maiello (PIMI), 26/03/1977 a 02/12/1982.
Pe. Giancarlo Coruzzi (SX), 03/12/1982 a 19/05/1989.
Pe. João Panazzolo (Diocese de Caxias do Sul, RS), 20/05/1989 a 22/11/1999.
Pe. Daniel Lagni (Arquidiocese de Goiânia, GO), 23/11/1999 a 22/11/2010.
Pe. Camilo Pauletti (Diocese de Caxias do Sul, RS), 23/11/2010 a 22/03/2016.
Pe. Mauricio da Silva Jardim (Arquidiocese de Porto Alegre, RS), atual diretor desde 25/03/2016

A eles somos imensamente agradecidos. Deus os recompense por tanto bem realizado.

* Diretor nacional das POM

comment Ainda não há comentários.

Você pode ser o primeiro a deixar um comentário.

mode_editDeixe uma resposta

Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person. Required fields marked as *

menu
menu